Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


"Todas" as mudanças são positivas

por *Márcia S.*, em 28.12.16

Sou daquelas pessoas que tem pavor a mudanças, sejam elas de que tipo for. Acho que sempre preferi ter tudo bem orientado na minha cabeça e detesto que se altere um bocadinho que seja. No entanto, e por experiência própria, acabei por encontrar algo positivo em todas essas mudanças anteriormente vistas de outra forma! Acabei por perceber que existe sempre algo positivo em todas as mudanças que vamos tendo ao longo do tempo. Contrariando assim todo o receio que tinha antes e não me preocupando tanto com as mudanças que se podem ir avistando.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Por vezes devemos dizer e repetir

por *Márcia S.*, em 28.12.16

Há amizades que valem ouro. Nem sempre tem de existir uma explicação ou algum motivo para, apenas é assim. Conto pelos dedos das mãos, e talvez até sobrem, aqueles a quem chamo de AMIGOS. É algo que demoro algum tempo a decidir, se quero ou não a pessoa na minha vida. Muitas foram as escolhas erradas que fiz ao longo dos anos no que toca a amizades, mas sei que a quem hoje chamo de "amigo/a" não é em vão. É neste aspecto que o "poucos mas bons" faz mais sentido. Muito provavelmente são as únicas pessoas que não tenho qualquer problema em me afeiçoar de mais e dar mais de mim. Mas também, por outro lado, nem sempre o consiga dizer sempre na hora certa.

Adoro todos aqueles a quem chamo de amigo/a e, sem sombra para qualquer dúvida, a amizade deles vale ouro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Ser quem querem que eu seja

por *Márcia S.*, em 23.12.16

Ao longo dos anos habituei-me a não ter expectativas sobre ninguém. Não esperar nada de ninguém, em parte também de forma a proteger-me e não me apegar tanto às pessoas. Muito devido a isso se tornou mais simples de superar quando querem sair da minha vida. Com o tempo torna-se um tanto faz que prefiram afastar-se. Já não há mágoa nem ressentimento. Afinal, cada um é livre de se manter ou afastar sempre que quiser.

Mas, e quando querem que eu seja assim ou assado? Sinceramente já há muito tempo que não me incomoda o que vão pensando que eu sou. A diferença está em pensarem que sou isto ou aquilo e quererem que eu seja algo que não sou. Ou criarem expectativas do que na realidade não sou. E não, não nego nenhum dos meus defeitos, não os escondo e se necessário sou a primeira a dizer quais são.

Se há coisa que já faz muito tempo que não permito é que me tentem mudar da forma que lhes já mais jeito ou lhes é mais conveniente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Natal e mais natal

por *Márcia S.*, em 22.12.16

Confesso que não é das minhas épocas festivas preferidas. Nem sei se gosto de alguma em particular. No entanto, este ano até comecei a comprar lembranças um pouco mais cedo que o habitual, pensando eu que chegaria perto do Natal sem ter essas preocupações. Bem enganada fui, como sempre, que acabo a comprar sempre "em cima da hora". Não por esquecimento, mas porque fui deixando passar. Já revelei que não gosto nada de comprar presentes? Acabo sempre por não saber o que comprar ou fico na dúvida se comprei o presente certo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ainda recordo

por *Márcia S.*, em 21.12.16

Sim, é verdade. Ainda recordo, não com a mesma frequência de quando partiste mas ainda recordo. Não sei se são saudades, se sinto falta ou se são apenas memórias, mas não é assim todos os dias. Mas hoje, hoje lembrei-me mais, recordei mais. Tentei lembrar de quem foi o último a dizer uma palavra. Não fui e, nem tencionava ser. Dizem que há momentos que devemos saber ficar calados e sem dúvida que eu soube. Quem não sabe o que quer não merece que lhes tentem mostrar certezas. Hoje dei por mim a pensar onde teria falhado. Se teria sido cruel, se teria feito algo de muito errado. Mas sabes? A culpa talvez tenha sido minha ao dar ouvidos a coisas e frases banais como o ser diferente. E, realmente, a diferença existia! Não a que era dita, mas existia. Desengane-se quem acha que (maioritariamente) os opostos se atraem. Na realidade não é assim tão linear. Éramos pólos opostos e talvez percebêssemos tal coisa tarde de mais.

Sim, eu hoje recordei. E recordei principalmente que o amadurecermos realmente é muito diferente de pessoa para pessoa. No dia que houve uma ausência quis dizer mil e uma coisas mas, optei pelo silêncio. Quem não tem a capacidade de sentir, certamente não terá a capacidade de perceber o que sentem os outros. Hoje finalmente percebi que a maturidade não vem com o tempo, quando não nos esforçamos para ter.

 

Eu hoje tive a certeza que o silêncio talvez seja a nossa melhor arma!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens