Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Como tudo passou a voar

por *Márcia S.*, em 27.11.16

Estive cerca de 10 anos sem ver pessoas que me eram muito especiais. Sim, podia ter visitado as pessoas mais cedo, mas por razões diversas esse momento aconteceu recentemente. Podia ter acontecido há precisamente 10 anos atrás? Então não podia! Mas aconteceu agora, não importa porquê mas aconteceu.

É incrível como de um segundo para o outro as memórias saltam todas na minha cabeça, começando a recordar coisas que aconteceram há mais de uma década atrás. Sim, certos momentos apagaram-se da minha cabeça, afinal apenas tenho 23 anos e não me recordo de tudo o que aconteceu nos primeiros anos de vida, pelo menos com toda a nitidez. É incrível como uma década depois voltei a sentir que adoro aquelas pessoas como se nunca tivesse estado afastada. É como se sempre tivessem estado por perto, e no fundo sempre estiveram perto apesar de longe. Surpreendentemente acharam que não tenho aparência de 23 e, ao invés disso, parecer uns anos mais nova (espero que daqui a 23 anos me digam o mesmo ).

Autoria e outros dados (tags, etc)

Novos rumos

por *Márcia S.*, em 27.11.16

Um dia, ao fim de anos a ignorar que tinha o direito a ter sentimentos, decidi dar o benefício da dúvida baixando as defesas que me tornavam numa pessoa com um coração um tanto mais frio. não, não me arrependi de o ter feito. No final de contas foi bom voltar a sentir que o meu coração estava vivo e que ainda batia. Apesar de tudo não me arrependi de nada, afinal errar é humano e como humana que sou... errei. Errei e não sei se provavelmente voltarei a dizer "decidi dar o benefício da dúvida".

Confiei no que era dito, talvez da boca para fora, e no fundo sei que errei. Errei em todos os momentos que passaram sim, mas não me arrependo. Agora sei o quão forte sou e a força que tenho de superar e "gelar" novamente o que "descongelei". É difícil entender, mas no amor não há sorte, essa sim é nula.

Cheguei a pensar se seria forte aquilo que nos unia. A resposta era mais que óbvia mas teimei em não a querer ver. Talvez bem no fundo eu soubesse, mas penso que existia alguma réstia de esperança. Talvez o erro tivesse sido dar tanta importância a algo que nunca a teve. O "amor" foi capaz de partir e, então, relembrei o que é ter um "coração frio". Afinal, recordar é viver, certo?

Irei sempre recordar como um dos pontos que não quero para mim. Talvez o que se sucedeu fosse uma espécie de suicídio. Acima de tudo, fazer-me feliz a mim mesma é a minha principal prioridade.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens