Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Acreditei que a vida é feita de sonhos

por *Márcia S.*, em 08.04.16

Sempre acreditei que a vida seria feita de sonhos. Talvez este fosse um sonho demasiado exagerado, mas achei (até certa altura) que assim era. Apesar de saber que de nada valia sonhar se não fizesse o esforço para os concretizar, posso dizer que sonhei muito, muito mesmo! Um dia sonhei no "felizes para sempre". Mas nem tudo é tão certo, linear e bonito como pensar no amor e uma cabana (será que isso existe ou alguma vez existiu?). Um dia, estive demasiado perto de acreditar que o meu sonho se podia concretizar e que o "amor para sempre" realmente existia. Na verdade até pode existir, mas não naquela situação, não comigo! Um dia acreditei que seria feliz para sempre, que mesmo tendo tristezas teria aquela pessoa sempre do meu lado para me retirar um sorriso e me fazer ver que nem tudo é tão negro como parecia.

Naquela altura, quando tudo era perfeito, dentro da sua imperfeição, eu conseguia acreditar no amor. Acreditar nos sonhos que tive, nos planos que tinha, acima de tudo porque acreditava no sentimento existente de parte a parte. Acreditei que o "felizes para sempre", apesar dos contratempos podia realmente acontecer comigo. Sim, talvez estivesse a fazer "um grande filme" na minha cabeça, sem dar conta disso. Mas era um sonho e eu sempre acreditei que a vida seria feita de sonhos.

Ao fim de algum tempo confirmei que o "felizes para sempre" não existia, pelo menos comigo! Pelo menos naquela altura não seria o lema que poderia trazer até hoje. Não se realizou, não por falta de tentativa. Talvez por exageros ou cansaço, não sei. Agora, hoje, não importa mais. Não voltei a sonhar, pelo menos com o "felizes para sempre". Hoje não sinto falta disso. Agora, no presente, percebi que afinal a felicidade tem de depender de nós, e SÓ de nós. Não esperar que essa felicidade seja entregue por alguém, mas sim que venha complementar a felicidade já existente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Desafio: Liebster Awards

por *Márcia S.*, em 08.04.16

Fui desafiada pela Aventureira para responder a este desafio, então cá vai. Neste desafio temos de dar a conhecer 11 factos sobre mim, responder às perguntas colocadas por quem nos desafiou e depois nomear entre 10 a 20 blogs com menos de 200 seguidores e propor 10 perguntas.

11 Factos Sobre mim:

  • Adoro chocolate;
  • Sou teimosa;
  • Sou persistente;
  • Adoro animais, em especial cães;
  • Gosto de cozinhar;
  • Gosto de decoração;
  • Sinto-me feliz se a minha família estiver feliz;
  • Sou muito organizada;
  • Não descanso enquanto não tenho todos os meus objectivos cumpridos;
  • Estou sempre em busca de algo novo para realizar;
  • Sou muito ansiosa.

Perguntas feitas pela Aventureira:

- Qual a tua flor preferida?

Adoro rosas e jarros.

- O que é que não deixas por fazer quando sais de casa de manhã?

A cama.

- 3 Coisas que levavas contigo se fosses fazer uma viagem à volta do Mundo?

Telemóvel, caderno e caneta.

- Se tivesses um Super-Poder qual seria?

Tornar-me invisível sempre que quisesse! Era tão bom!! :D

- Qual a tua "boa acção" mais comum? 

Normalmente não me recuso a ajudar ninguém, mas a boa acção mais frequente é provavelmente ajudar a minha irmã nos "problemas" de jovem que vai tendo no dia-a-dia. (tenho uma irmã 11 anos mais novinha!)

- Qual a cor que domina o teu guarda-fatos?

Já foi o preto, neste momento é provável que continue a ter mais peças em preto, mas não são a maioria.

- Teatro ou Cinema? 

Cinema. Gosto de Teatro mas costumo ir mais vezes ao cinema (e já não vou aos meses!).

- Um jantar num Restaurante Chique ou uma noite tranquila com o jantar em casa?

Em casa acho muito melhor!

- Comer no trabalho ou levar a "marmita"?

Marmita. Mais económico e, na minha opinião, mais rápido!

- Primavera/Verão ou Outono/Inverno?

Apesar de adorar o Verão devido ao calor, e o Inverno devido a ser a altura em que nasci, as minhas estações referidas são a Primavera e Outono.

 

Vou então nomear para este desafio:

Sr. Solitário, Sugar Candy, Palavra de Bailarina, Diz que estuda, Delícia de Amêndoa, Kikas, Anti-Social, Sar(a)casticamente, Menina da Cidade, Uma Jovem Emigrante, Marrocos e o Destino, Momentos Disparatados

E o Desafio consiste em dar a conhecer 11 factos sobre vocês, responder às perguntas e nomear outros blogs a fazer o mesmo.

 

As perguntas são:

  1. Qual o teu trabalho de sonho?
  2. Qual a viagem de sonho?
  3. A melhor surpresa da tua vida?
  4. O que farias se ganhasses o 1º prémio do Euromilhões?
  5. Qual o maior sonho que tiveste/tens?
  6. Género de filmes preferidos?
  7. Como defines o teu blog?
  8. Quando foi criado o teu blog?
  9. O que te inspirou a criar o blog?
  10. Quem mais admiras na vida?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem fui eu afinal?

por *Márcia S.*, em 08.04.16

Eu fui uma miúda constantemente insegura, com imensas hesitações, sem vontade própria, tímida, extremamente medrosa e que dava muito valor a todas as opiniões que ouvia das outras pessoas, familiares, amigos e amigos da onça. Fui uma miúda cheia de sonhos, que ouvia comentários negativos e cruéis e apenas sorria. Fui uma miúda que era incapaz de pedir ajuda fosse para o que fosse, uma miúda que gostava de agradar a todos e se esquecia dela mesma. Fui uma miúda que durante 7 anos viveu os piores momentos da vida e preferiu guardar tudo para si. Fui uma miúda que sofria em silêncio e achava que tudo isso era normal, que se deixou manipular por opiniões que a faziam odiar-se a si mesma. Fui aquela miúda que para os adultos tinha um comportamento exemplar, sabia escutar e estar, para os outros miúdos era quase um monstro, tal eram os adjectivos que lhe davam.

Fui uma miúda que a partir dos 11/12 anos durante alguns anos, com alguns períodos de "descanso" (felizmente), se deixou dominar pelos colegas e conhecidos. Fui uma miúda que, infelizmente, se habituou de tal forma a ser vítima de bullying que achou que tudo isso seria normal e que provavelmente seria culpada pelo que passava. Bullying era um termo não muito usado, nem conhecido na altura. Fui uma miúda que se culpou de tudo o que, de negativo, se passava na sua vida. A certa altura tornou-se revoltada e com alguns comportamentos mais agressivos devido ao cansaço que já se acusava, mais psicológico do que físico.

Em suma, fui uma miúda que se deixou ser a vítima habituando-se de tal forma que não conseguia encontrar forma de fugir da situação.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens